20110204-2


※上記の広告は60日以上更新のないWIKIに表示されています。更新することで広告が下部へ移動します。

Estados Unidos e Egito estariam discutindo plano para renúncia do presidente Hosni Mubarack
O jornal americano, o New York Times, relatou que a administração americana e funcionários do governo egípcio estariam discutindo uma proposta para uma renúncia imediata do presidente Hosni Mubarack e entrega do poder a um governo transitório.

A edição online do jornal informou isto ontem, quinta-feira, citando funcionários do governo americano e diplomatas árabes.

O artigo diz que funcionários dos governos americano e egípcio continuam suas conversações no sentido de ter o vice-presidente Omar Suleiman assumir a liderança de um governo transitório.

O jornal cita ainda funcionários americanos dizendo que a proposta foi uma das várias opções apresentadas na discussão com funcionários egípcios de alto escalão ligados com Mubarack.

Numa entrevista para a televisão ABC na quinta-feira, o presidente Mubarack eliminara a possibilidade de renunciar imediatamente, afirmando que o Egito entraria com isto num caos.

Na mesma entrevista, Mubarack também sugeriu que o presidente americano, Barack Obama, pedira sua renúncia quando em conversa telefônica realizada na terça-feira.

Mubarack mencionou que dissera ao presidente dos Estados Unidos que o mesmo não entende a cultura egípcia e não tem condições de avaliar o que aconteceria caso ele renunciasse agora.



Comentário: Análise da situação no Egito
No Comentário desta edição, a análise da situação do Egito por Emi Suzuki, professora adjunta da Organização para Estudos do Mundo Islâmico, da Universidade Waseda, de Tóquio.

Há crescentes apelos no Egito e em outras nações para uma renúncia imediata do presidente Hosni Mubarak. No entanto, Mubarak declarou que não deixará imediatamente o cargo. Como a senhora encara esta situação?

"Depois de ver a demonstração de autoconfiança do presidente em seu recente pronunciamento pela televisão, não acredito que ele venha a deixar o cargo por maiores que sejam as manifestações."

"Eu diria que a razão de ele não renunciar é a determinação de evitar uma desestabilização do país."

"A insegurança vai se agravar se Mubarak renunciar. A maior preocupação dele deve ser a possibilidade de ascensão ao poder de fundamentalistas islâmicos."

"É a preocupação de sua vida. Nos últimos 30 anos, desde que se tornou presidente, Mubarak tem tido a firme determinação de conter a ação de fundamentalistas islâmicos."

"Um grande atentado suicida a bomba, que se suspeita tenha ligação com a al-Qaeda, matou 23 pessoas em uma igreja cristã copta no dia de ano-novo na cidade de Alexandria, do norte do Egito. Os coptas são uma minoria que representa 10% da população do país. Há suspeita de envolvimento de fundamentalistas islâmicos no atentado."


"Mais do que se apegar ao cargo de presidente, Mubarak está interessado em manter o sistema de segurança, que ele próprio construiu e que tem garantido que o Egito não mergulhe em hostilidades."

"Ao fim de seu mandato em setembro, Mubarak não buscará um novo mandato. Ele deve estar tentando realizar uma transição pacífica de poder, provavelmente para o vice-presidente, Omar Suleiman."

Esta a análise da situação do Egito por Emi Suzuki, professora adjunta da Organização para Estudos do Mundo Islâmico, da Universidade Waseda.






Manifestações contra o governo continuam no Egito
Preocupações aumentam no Egito em relação à possibilidade de ocorrerem novos choques em uma outra grande manifestação de protestos contra o governo programada para esta sexta-feira.

O ministro da saúde disse que no, mínimo, seis pessoas morreram em consequência dos violentos conflitos travados entre os rebeldes e os simpatizantes do presidente Hosni Mubarak, na quarta e na quinta-feira desta semana.

Combates esporádicos continuaram na quinta-feira à noite. Barricadas foram feitas para separar os dois grupos na praça Tahrir, no centro de Cairo, o local das principais manifestações.

Omar Suleiman, vice-presidente do Egito, falou num canal de televisão do governo, na quinta-feira, que o governo está pronto para dialogar com a oposição.

Um assistente próximo a Mubarak também disse que o maior grupo oposicionista, a Irmandade Muçulmana, havia sido convidado a participar de um diálogo entre o governo e todos os partidos. O Egito proibira o grupo islâmico a atuar como partido político.

No entanto, o grupo rejeitou a oferta dizendo que não aceitaria fazer nenhum diálogo a menos que Mubarak renuncie o cargo imediatamente.



Secretária de Estado do governo americano critica ataques contra jornalistas no Egito
A secretária de Estado do governo americano, Hillary Clinton, denunciou os ataques contra jornalistas no Egito e solicitou ao governo daquele país a prover proteção para os membros da imprensa.

Jornalistas relatando manifestações antigovernamentais no Egito foram atacados e detidos. Funcionários do governo americano estão solicitando ao governo egípcio para libertar estas pessoas.

Na quinta-feira, Clinton dissera à imprensa que os ataques violam a liberdade de expressão e não podem ser tolerados.

Ela disse também que o governo egípcio e seu exército devem prover proteção também para a imprensa e levar à justiça os responsáveis por tais ataques.



ONG condena Mubarak por ataques a jornalistas
Um grupo de observação da imprensa criticou o governo do presidente Hosni Mubarak por orquestrar ataques a profissionais da mídia internacional.

A organização não governamental Comissão de Proteção dos Jornalistas, com sede nos Estados Unidos, divulgou relatório quinta-feira em resposta a ações contra jornalistas por autoridades egípcias.

O relatório diz que 30 jornalistas foram detidos em choques entre manifestantes anti e pró-Mubarak ocorridos quarta-feira e quinta-feira no Cairo.

O documento afirma que 26 outros jornalistas foram atacados. Diz, além disso, que ocorreram oito casos de apreensão de câmeras e outros equipamentos de reportagem.

O grupo acusa o governo Mubarak de tentar obstruir a cobertura dos distúrbios no Egito.





Anatoly Serdyukov, ministro da defesa da Rússia, visitou duas das quatro ilhas que são o centro de disputa territorial com o Japão. Esta é a segunda visita à região feita por um membro do gabinete russo em uma semana.

Serdyukov inspecionou uma base de força aérea, uma unidade de artilharia e outras instalações militares nas ilhas de Kunashiri e Etorofu, hoje, sexta-feira.

O exército da Rússia planeja impulsionar sua capacidade de defesa no norte do Pacífico, próximo às quatro ilhas mantidas pela Rússia, ao extremo norte da província japonesa de Hokkaido.

A visita de Serdyukov ocorre em seguida à da delegação liderada por Viktor Basargin, ministro do desenvolvimento regional, que anunciou um plano de desenvolvimento econômico a longo prazo naquela região.

O presidente Dmitry Medvedev visitara as ilhas em novembro passado como o primeiro líder russo a pisar na região.

A visita do ministro da defesa ocorre menos de uma semana antes do encontro de Seiji Maehara, ministro dos negócios estrangeiros do Japão, com o chanceler russo Sergei Lavrov, em Moscou.

Um correspondente da NHK disse que a Rússia está visando renovar suas reivindicações territoriais na região através dos movimentos.





Preços dos alimentos em escala global atingem recorde histórico segundo órgão da ONU
Os preços dos alimentos em escala mundial estão subindo para níveis recordes, elevando assim inquietações de uma ampliação do problema da fome entre pobres e instabilidade nos países em desenvolvimento.

Ontem, quinta-feira, a Organização da ONU para Agricultura e Alimentação, de sigla FAO, disse que o índice global de preços de alimentos atingiu um nível, sem precedentes, de 231, em janeiro.

Este nível tem como valor de referência 100, que foi estabelecido com base num período de 3 anos que terminou no ano de 2004.

O índice também registrou uma alta de mais de 3 % a partir de dezembro. Este é o mais alto nível desde que a organização começou a compilar estes dados em 1990.

A maior parte dos itens, incluindo o açúcar e o trigo, passaram a ter um preço maior.

A organização alega que colheitas pobres causadas por um tempo anormal, como sérias precipitações de chuvas, na Austrália, são a causa do problema.

Ela também citou uma crescente demanda de alimentos nos países emergentes, incluindo a China e Índia.

Especialistas estão preocupados como fato de que contínuos aumentos de preços, como previsto pelo organismo da ONU, poderão causar inquietações nos países em desenvolvimento, tal como o ocorrido na Tunísia e no Egito.





Nova eleição presidencial será realizada no Haiti em março
O conselho eleitoral do Haiti corrigiu os resultados da eleição presidencial de novembro, estabelecendo uma nova competição que excluirá o candidato apoiado pelo governo que, segundo alegações, ganhara por fraude.

O Conselho Eleitoral Provisional do país disse ontem, quinta-feira, que a ex-primeira dama Mirlande Manigat e o músico Michel Martelly foram os dois primeiros colocados na eleição realizada no dia 28 de novembro, à frente do tecnocrata Jude Celestin, apoiado pelo governo.

Os dois candidatos, que são contra o governo, competirão uma nova eleição no dia 20 de março para substituir o atual Presidente Rene Preval.

O conselho tinha inicialmente colocado Celestin em segundo lugar nas eleições de novembro.

Contudo simpatizantes do terceiro colocado Martelly manifestaram-se contrários aos resultados em dezembro.

A Organização dos Estados Americanos e outras organizações internacionais investigaram as alegações de fraudes e irregularidades que se expandiram na primeira rodada das eleições, e pressionaram o conselho a mudar sua decisão inicial.




Navio baleeiro japonês sofre danos am ataque do Sea Shepherd
O grupo de oposição à pesca de baleias Sea Shepherd - Guardiães do Mar - obstruiu a ação de um navio baleeiro na Antártica, danificando a hélice da embarcação.

A Agência de Recursos Marítimos do Japão informa que o navio Yushin-maru 3 foi cercado nesta sexta-feira por quatro botes do Sea Shepherd.

O incidente é a sétima ação de obstrução de navios baleeiros do Japão desde dezembro do ano passado. É o primeiro incidente, no entanto, em que se registram danos.



Associação Japonesa de Sumô rejeita pedido de afastamento de lutador
Nesta sexta-feira, a Associação Japonesa de Sumô rejeitou o pedido de afastamento do esporte apresentado por um lutador que se declarou culpado de armação do resultado de lutas. A entidade anuncia que aguardará o resultado de inquérito administrativo antes de definir modos de punir o lutador.

Chiyohakuho e 13 outros lutadores do sumô japonês estão suspensos do esporte por acusação de armação do resultado de lutas. O caso teve início com a descoberta, pela polícia, de e-mails sugerindo irregularidades armazenados em telefones celulares que foram apreendidos em julho do ano passado.


Cotação do dólar
E no mercado de câmbio de Tóquio, o dólar teve uma alta hoje à tarde, em relação ao iene.

Às cinco, hora local, ele foi negociado entre 81,59 e 81,61 ienes, com um avanço modesto de 0,05 ienes, em relação à cotação vespertina de ontem, quinta-feira.